Aceita um cafezinho?

Não bastasse o trânsito caótico, insuportável e inacreditável da cidade, a frente fria que trouxe toda a chuva do mundo em apenas uma semana sem dar chance nenhuma de molhar um pouquinho do sertão, ainda temos a greve dos rodoviários para tumultuar e dificultar mais o direito de ir e vir do cidadão soteropolitano! 

Nessa conjuntura sofrida e extenuante de querer sair de casa para ir trabalhar, estudar, ir ao médico, ao dentista, ao shopping… nós, pobres motoristas (falo por mim, porque a experiência dos pedestres ensopados está além do que posso imaginar e registrar neste post), nos encontramos reféns de uma cidade que está a beira do colapso urbano, sem dono, sem pé nem cabeça, indo para o buraco literalmente….

Ai que felicidade quando consigo vencer os 25 km entre minha casa e meu trabalho em 2 horas.. Oba! Passei a 2ª marcha…uh..uh..

Agora a novidade de chegar ao trabalho e se sentir no meio de um deserto porque as pessoas só vão aparecendo depois das 10:00h da manhã, que é quando cada um consegue vencer os seus kms de sofrimento diário, presos no congestionamento nosso de cada dia. Congestionamento não, parece uma procissão, um mar de carros encostados lado a lado, buscado uma saída para qualquer lugar que não seja ficar preso no meio da rua.

No trânsito tem de tudo, fico olhando pela janela e me divertindo, porque afinal a gente tem de encontrar alegria em tudo o que faz, mesmo que seja no sofrimento urbano. Você olha para o lado e tem gente lendo jornal, a outra passa batom, outra penteia o cabelo, já vi uma mulher passando rímel e se maquiando, gente ouvindo música, gente dançando, gente rindo, gente brigando, gente com raiva, até gente dormindo… O carro da frente anda um metro e ele fica parado…. sonhando… pensando…. Acho que vou criar uma comunidade no Facebook “ Prisioneiros do Trânsito” e vai bombar de acessos….

Daí, quando finalmente você chega no destino, louca para tomar um café, cadê a garrafa com o cafezinho quente? Não trouxeram, não tem… A moça do café não conseguiu vir trabalhar porque não tem ônibus… Oh meu Deus, o café não, mandem buscar a moça em casa, a gente faz uma vaquinha e paga o taxi….

Aqui na minha sala nós resolvemos o problema de um modo mais efetivo, trouxemos uma cafeteira elétrica doméstica! Eu trouxe a máquina e Carminha o café.

Resolvemos o problema… quase…

Acontece que nenhuma de nós sabe fazer café, esquecemos de  trazer a receita e acabamos usando todo o pó que tínhamos tentando acertar o sabor. Como sempre digo, todo projeto precisa de 60% de planejamento, 20% de boa execução e 20 de monitoramento e controle… rsrs… Foi dez a zero para o café.

Eu trouxe a cafeteira sem o filtro, então tivemos que improvisar com uns guardanapos de papel que por acaso tínhamos numa gaveta;

Tentamos fazer o café, mas o pó se misturou completamente na água e vazou tudo pelo guardanapo e não teve quem conseguisse beber  aquilo… Resultado: passamos a manhã brigando com a cafeteira e não conseguimos nem um golinho se quer.

Pedimos a Cristiane que trouxesse o filtro depois do almoço, pronto problema resolvido!

À tarde, todas empolgadas com a novidade e exclusividade de termos uma máquina só nossa para o cafezinho, fizemos uma nova tentativa, agora com o filtro.

Mas e a receita? Cada uma tinha uma receita completamente diferente da outra e decidimos que a proporção devia ser 4 colheres de sopa de pó para um litro de água. Como a cafeteira é para meio litro usaríamos 2 colheres, mas não tínhamos colher de sopa e sim aquelas de plástico de aniversário. Calculamos então que cada colher de sopa deveria ser umas 4 colherinhas daquelas e usamos 8.

Quando colocamos o pó no recipiente da cafeteira vimos que sobrou só um pouquinho no pacote e resolvemos colocar tudo de vez porque assim ficaria um café fortinho e não teríamos de guardar só um restinho no pote. E vamos lá!

Colocamos a água, ligamos e ficamos esperando ansiosas nosso bem merecido cafezinho. Oh cheiro maravilhoso!

– Mas espera ai, está passando tudo, cadê o pó que não fica no filtro?

– Carminha que café foi esse que você comprou?

– Café solúvel, o melhor que tinha…

Calma, muita calma nessa hora, vamos ver se dá para consertar…

Tiramos a jarra com o café feito, jogamos mais da metade fora, enchemos o recipiente de água da cafeteira, ligamos de novo e jogamos mais água quente no café…

Agora sim… um delicioso café super forte solúvel.

Só deu para beber com leite em pó misturado, mas tudo bem, café é café…

Já ficou combinado que vamos trazer o pó certo e a receita certa para a cafeteira, e mesmo que os ônibus voltem e a mulher do cafezinho apareça na segunda feira nós não vamos desistir de nosso café particular…

Aceitam um cafezinho?

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s