Em disparada

Oi, alguém se lembra de mim?

Estava com saudades, essa semana não deu tempo nem para respirar direito, mas foi bom me sentir viva!

Muitas novidades no trabalho, algumas expectativas frustradas, outras realizadas, a maioria ainda em suspenso e vamos indo que a fila anda…

Daqueles oito braços que haviam nascido em mim e que se complementavam trabalhando harmoniosamente, seis foram sendo abandonados ao longo do tempo, então resolvi dar-lhes mais o que fazer redistribuindo suas atividades deixando apenas dois para o trabalho.

Estou usando um para a pintura, um para a poesia e outro para a organização de meu livro, mais um para a gravação do CD que virou meu xodó e reservando dois para  estudar e fazer aquela famigerada prova novamente.

Os compartimentos de minha cabeça já estão todos prontos e envolvidos  nas novas atividades a começar por não trazer mais trabalho para fazer em casa, seja feita a vontade de quem manda! Minha família penhorada agradece, eu acho… rs…rs

Quero férias! Aliás, quero os dias de minhas férias de 2006/2007 que não tirei, mais as de 2008 que já venceram, antes que se juntem com as de 2009 que vão vencer em março, ou será melhor deixar juntar tudo, sair de vez, mudar de vida e nunca mais voltar? É uma idéia a ser analisada!!! Ou então negociar esses primeiros 60 dias em troca das sextas-feiras. Que tal? Será que meu chefe aceitaria me liberar todas as próximas 60 sexta-feira…uh.uh… Grande idéia!

Ainda estou me adaptando a essa nova Eu ligth, por isso não vão contando as favas porque pode ser que algumas coisas mudem pelo caminho, sempre é tempo de se ter uma recaída.

No repertório que estou gravando estou trabalhando sobre as músicas vencedoras dos festivais de 60, 70 e 80. Saio rouca do estúdio, mas super feliz por estar conseguindo realizar esse sonho. Já disse que não vai ficar barato, mas vale cada centavo investido, depois de pronto quem sabe tentamos colocar o trabalho em alguma gravadora… quem sabe o que o futuro me trará…

Sou soprano, mas estou aprendendo a conter minha voz e cantar numa região média, é mais ou menos como domar a Hydra e transformá-la num gatinho, mas acho que é disso que eu estou precisando agora – de mansidão interna. Então estou me dedicando a aprender a alcançar os graves da voz feminina do contralto e realmente tenho que admitir que para quem vai me ouvir depois ficará muito mais confortável do que me ouvir cantando nas alturas… coisas da vida.

Para que tanto se as pessoas querem tão pouco? Não estou menosprezando os contraltos, muito pelo contrário, estou dizendo que cada um sabe fazer bem aquilo que nasceu para fazer. Na partitura existe espaço e valor para que todos brilhem em seu naipe original e é isso que dá harmonia à música. São os tenores e contraltos que ficam na região média da notação que garantem a harmonia musical. Os baixos profundos e as sopranos etéreas entram e saem para colorir o arranjo complementando os espaços.

A vida é complemento e a melhor coisa que existe nesta vida é saber onde você se encaixa, até para que possa  assumir de vez que, se não se encaixa em lugar nenhum é porque talvez esteja na hora de mudar de lugar ou então de mudar tudo o que está à sua volta!

Abraços a todos que estiverem por ai. Acho que perdi alguns leitores pelo caminho. É uma pena pois todos são muito queridos para mim!

Marta

Anúncios

Um comentário em “Em disparada

  1. Marta, sei que vc se dedica de corpo e alma a tudo que faz. Cantar então…vem muito da alma que em ti habita… Quero ver o resultado assim que ficar pronto. Vá em frente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s