Voltei a mim

Voltei a mim
Voltei ao mesmo estado morno
de calmaria que me arrefece a vida
e tira as cores de que gosto do rosto

A esse suceder do tempo
que me arrasta sem novidades
no vai e vem dos meus dias

Ao viver por fora e por cima
num misto de alienação e covardia
que me separa de mim mesma

Me alucina com o medo do abandono
me hipnotiza com as cores
do caleidoscópio que encontro
a cada porta que abro e não entro

Voltei a minha vida que me possui
com sua agenda estressante
que me cega não me deixando ver
minha estrela guia

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s