Sozinha de novo

É diferente a cada vez que me acontece
A alegria por estar só comigo mesma
Podendo decidir sobre onde, como e quando ir.
Sobre o que fazer, ou não fazer
Ou com quem, ou porquê.

A tristeza infinita de me sentir sozinha
E desamparada aqui, no meio daqueles que amo
A sensação de pequenez
De indiferença e solidão,
De incapacidade emocional

Só eu posso enfrentar esses fantasmas
Vencê-los e eliminá-los de minha vida,
E não será preenchendo os espaços com qualquer coisa
Entrar de cabeça, fundo dentro de mim
Para encontrar as respostas.

Ao menos estou começando a descobrir as perguntas!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s