Ânima menina

Minha poesia não tem métrica,
Não tem rima,
Pois se fala de mim,
Se só a mim anima,
Se só eu conheço
A quem se destina,
Por que transparecer,
alma tão feminina,
se o turbilhão dos sentimentos
me fascina,
me deixem ser assim,
não importa se ânimus ou ânima,
e sim,
sempre menina!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s