Novas perspectivas para a vida

Como não tenho mais nada o que fazer (!), outro dia estava andando displicentemente quando vi uma placa: “curso de desenho”. Liguei e marquei a 1ª aula. O primeiro exercício foi fazer um desenho de uma composição instantânea que o professor montou à minha frente. Para quem nunca desenhou nada na vida foi um susto, mas eu realmente estou com minha mente aberta nos últimos tempos, levei a sério e consegui fazer alguma coisa. Ao analisar meus riscos o professor conseguiu identificar alguns traços de minha personalidade e profetizou: você vai se desenvolver muito e com certeza vai sentir uma transformação no processo. OK, eu topo!

Começamos a aula com uma explicação do porque que as pessoas não desenham, o que nos levou à idade média e a falta de perspectiva na arte e nos trouxe de volta aos tempos atuais, onde fomos analfabetizados visualmente pela fotografia e mais recentemente pelo computador. Resumindo perdemos a noção de espaço, proporção e perspectiva pelo imediatismo de nossa cultura, pela falta de paciência e valores estéticos sintetizados pelos quais optamos em nosso dia-a-dia. Tudo a ver comigo e meu momento.

Como as coisas não acontecem de graça na vida da gente, estarei fora por 10 dias e não poderei fazer as próximas aulas com a turma, mas estou agendando aulas de reposição, com o compromisso de fazer os exercícios de observação e perspectiva para poder acompanhar o grupo e me integrar ao curso. Afinal vou estar sozinha num quarto de hotel pensando na vida mesmo!

Então uma coisa que eu achei que me serviria para desopilar o fígado, se transformou sem mais nem menos num compromisso sério que estou encarando como um ponto de mutação na minha ligação com o mundo exterior. Ao escrever eu falo de mim e de meus sentimentos para o mundo, ao desenhar espero poder estruturar o mundo que me cerca, transportá-lo e reconstruí-lo dentro de mim. Essa perspectiva estruturada no papel pode me ajudar a identificar cenários e percepções que ficam soltas à minha volta, por me faltar a metodologia de desconstrução material dos objetos e sua reconstrução imaterial-simbólica, que pode ser colocada no papel, na tela, na escrita, ou simplesmente em meu coração.

Essa foi para meus amores…
Marta

Anúncios

2 comentários em “Novas perspectivas para a vida

  1. Oi,
    Acho que as coisas só aparecem na vida da gente quando precisamos. No momento estou precisando colocar essa energia para fora, e os braços vão aparecendo.
    Abraços, com todos os meus braços!
    Marta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s