Árvore de família

Hello people,

Quanto tempo, quantas saudades… mas a vida é assim mesmo, muita coisa para fazer e pouco tempo para dar conta!

Tenho uma grande novidade para vocês.

– Como eu estava sem nada para fazer,  dei a ideia para a minha irmã Ivana montar a árvore genealógica da família e ela se empolgou e já estamos chegando na casa de 400 pessoas catalogadas, em sete gerações – do trisavô ao primo de 3ºgrau (meus primos-netos) … kkk … isso é uma loucura!

Começou assim, ela cadastrou em um site especializado nossa família nuclear – pai/mãe, filhos e netos. Dai começamos a expandir para os irmãos de nossos pais, e seus filhos, netos e bisnetos… depois subindo para a geração dos avós, bisavós e trisavós, que foi até onde conseguimos chegar com os documentos que conseguimos até agora. Ela investiga no facebook e eu escrevo “cartas-súplicas” para que os primos nos ajudem enviando seus dados e de suas famílias. Mas Ivana está avançando praticamente sozinha “detetivando” no facebook… kkk … Conseguimos ajuda das primas mais próximas, apesar da distância física – Francieli, Rita, Célia, Eni e Bete (pelo lado de minha mãe) e de Ana Regina (pelo lado de meu pai), mas falta muito ainda, muito mesmo!

Um pouquinho da história de nossa família:

A família de meu pai é descendente de escravos de cidades de Minas Gerais. Diz a lenda que meu avô Virgílio da Silva foi entregue para ser criado por padres, tinha alguns irmãos mas nunca soubemos quem eram nem mesmo seus nomes. Minha avó Maria de Paula, nunca falou sobre irmãos, então não sabemos se ela os tinha ou se também foi separada deles. E isso é tudo o que sabemos da história anterior deles antes de se casarem. Eles tiveram 13 filhos, dos quais meu pai era o mais novo. E meu avô, que era muito inteligente e culto para os padrões da época (pela educação religiosa que recebeu) resolveu inovar na hora de registrar os filhos. O primeiro filho se chamava Olívio e para combinar foi registrado com o sobrenome Oliveira. A partir do segundo filho, um recebia o nome da Silva e o outro de Paula, desse modo a família foi sendo distribuída entre os dois sobrenomes. Por sorte ou azar, nunca tivemos herança para dividir kkk

Cada um desses irmãos tiverem vários, muitos, filhos.  Meu pai tinha sobrinhos muitos anos mais velhos que ele, e isso fez com que nós perdêssemos o fio dessa meada, e só conhecemos os filhos dos irmãos mais novos e próximos de meu pai, isto é, de apenas 3 irmãos, e está sendo quase impossível encontrarmos alguém conhecido que se lembre de quem eram eles. Mas estamos procurando, aliás a Ivana está procurando por que ela tem o instinto e sangue de investigador-agente-secreto-cibernético-facebookiano que eu não tenho… eu só dei a ideia kkk…

Já a família de minha mãe veio da Itália, madona mia!

Temos uma certidão do Museu do Imigrante que registra a chegada de meus trisavós no Brasil em 1887, e assim começou a família Ferrari-Ortolan. Minha Nona Maria Ortolan tinha mais quatro irmãos, meu Nono Henrique Ferrrai tinha mais nove irmãos, todos esses tios-avós tiveram muuuuuuitos filhos, numa média de 10 cada um, e cada um desses tiveram lá os seus 6 ou 7 filhos também, é uma conta quase exponencial que está nos levando a marca de 400 pessoas identificadas em sete gerações! Uma delícia de  loucura italiana!

Mas de tudo isso o que tem me deixado encantada com esse projeto é que conversando com minha irmã e com  minha mãe estamos resgatando nossa infância, lembrando dos primos que já estavam perdidos na memória, procurando e pedindo fotos antigas, e minhas queridas primas que se integraram nessa odisseia, também já estão “contaminadas” pelo desafio de construir essa árvore porque todas nós queremos nos aproximarmos novamente, e todas nós queremos ver até onde vamos conseguir chegar, por que os Ortolan estão perdidos no passado, não conseguimos encontrar nenhuma pista deles até agora.

Um beijão a todos Silva-Paula e Ferrari-Ortolan desse meu Brasil…

P.S. – Gainos, aguardem que sua árvore já está sendo preparada também!

Marta Gaino

 

Citação

Alo amigos,

Este post é meio diferente dos outros, por uma razão especial, ele foi escrito sob encomenda.

Um dia, almoçando com colegas do trabalho, surgiu o assunto da dificuldade de ouvir e eu contei minha experiência com a surdez. Cesar, um dos colegas na mesa, me pediu que eu lhe passa-se algumas dicas porque ele ainda estava avaliando a sua situação. Então, quando cheguei em casa me pus a enumerar os itens que eu considerava que eram importantes para orientá-lo nesse caminhos das pedras surdas, e enviei por email.

Hoje, dois meses depois, encontrei com ele novamente e lembramos do assunto. Ele disse que mostrou a seu irmão e que este disse-lhe que gostaria de publicar os comentários em seu blog, e dai eu pensei, eu mesma posso fazer isso no meu blog (porque não pensei nisso antes?)

Então, seguem as dicas, algumas são bem específicas, inclusive com endereços, mas não se preocupem “NÃO É PROPAGANDA, NEM ESTOU VENDENDO NADA, NEM RECEBENDO NADA EM TROCA”, apenas procurei ser o mais fiel possível sobre o meu processo de descoberta e adaptação em minha vida pós descoberta da surdez.

– Antes desse episódio houve uma outra vez em que conversei demoradamente com outro colega e o incentivei a procurar por aparelhos auditivos. Um dia esse colega Carlos, veio até minha sala e me deu um abraço demorado e apertado e me disse que ele não tinha idéia do quanto estava surdo e o quanto eu o tinha ajudado a recuperar a qualidade de vida junto a seus familiares.

Existe recompensa melhor do que essa?

Beijos mil,

Segue o texto…

Marta

Olá Cesar,

Posso falar de minha experiência, com prazer, pois considero que foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida.

A primeira coisa a fazer é procurar um otorrino de sua confiança, ele pedirá vários exames para tentar encontrar a causa de sua auditiva. Pode ser física/estrutural ou orgânica/degenerativa, que é o meu caso, e mais vários outros motivos como traumas sonoros, pancadas na cabeça, enfim, é preciso descobrir qual seu caso.

Após os exames ele pedirá que você se consulte com uma fonoaudióloga para fazer uma audiometria para mapear sua perda e saber que tipo de aparelho auditivo é o mais indicado para seu caso.

Minha perda é de 40% em ambos os ouvidos, então eu ouço os sons, mas não entendo as palavras. A conversação humana é modular e segue em ondas, oscilando entre o mais grave e o mais agudo, eu ouço perfeitamente os graves, mas não ouço os agudos, então as palavras chegam cortadas ou distorcidas em meu cérebro.

Dependendo do seu caso a fono vai indicar o tipo de aparelho que melhor possa corrigir e ajustar os graves e os agudos para reensinar seu cérebro a entender as palavras.

Meu primeiro aparelho foi simples, e ficava todo dentro da orelha e eu o usei por três anos, até que percebi que estava mais me atrapalhando do que ajudando, porque nesse meio tempo meu cérebro conseguiu recuperar o discernimento auditivo. É como se as células sadias restantes tivessem feito um upgrade para suprir a deficiências das que estavam doentes.

Então eu mudei os aparelhos e passei para uma outra classe, mais sofisticados tecnologicamente, e mais caros óbvio, Os que eu uso agora são externos, ficam com o microfone atrás da orelha e levam o som dentro do canal auditivo. Mas cada caso é um caso.

Como comprar os aparelhos:

1.Você pode solicitar pelo SUS, é direito de todos, a qualidade dos aparelhos é boa, você não paga nada, mas tem de entrar na fila,

  1. Você pode procurar o CEPRED, órgão de referência na Bahia, e pode fazer todos os seus exames com a equipe de fonos e solicitar os aparelhos pelo governo da Bahia. Equipe é muito capacitada, mas acho que você acabaria caindo na fila do mesmo jeito;
  1. A UNIME aqui em Lauro de Freitas também tem esse tipo de atendimento, pela escola de fonoaudiologia,
  1. Com seu diagnóstico na mão, você pode procurar uma clínica de fonoaudiologia, que indicará o tipo de aparelho que você precisa. Existem clínicas e clínicas: umas não tem ligação nenhuma com marcas de aparelhos e vão indicar um tipo para o seu caso, e outras que são clínicas com representação de marcas, e que do mesmo modo vão indicar um tipo, mas dentro de seu portfólio.
  1. Aparelho auditivo é como carro, existem o 1.0, 20. 4.0, manual, digital, 16 canais, 32 canais, enfim é uma variedade tecnológica que só mesmo um profissional para indicar, mas você deve ter consciência de que, seja qual for o indicado para seu caso, é melhor você pegar o top de linha. A vida útil de um aparelho é de no máximo 5 anos (eu estou no meu terceiro par) se você escolher seu aparelho pelo preço você não vai ter a qualidade necessária e terá de trocar seus aparelhos antes dos 5 anos, então vai estar jogando dinheiro fora.
  1. As marcas: existem algumas marcas que considero como principais são européias (alemãs e suíças) e americanas, mas também tem brasileiras. O importante além da escolha do tipo adequado é que seja uma tecnologia que não esteja ultrapassada, o que acontece muito quando te dizem que é uma “oferta”. As marcas de qualidade oferecem, via parceria com as clínicas, assistência de 01 a 3 anos, pilhas grátis por 1 ano, assistência de peças, e exames gratuitos durante todo o tempo que você estiver usando o aparelho. Esse é um modo de fidelizar o cliente/paciente, por que depois que você começar usar a sua qualidade de vida vai melhorar tanto que nunca mais vai pensar em ficar sem aparelhos, então as clínicas precisam fidelizar você. Eu uso isso a meu favor.
  1. Veja esses sites:

http://www.direitodeouvir.com.br/modelos-de-aparelhos-auditivos/

http://laysom.com.br/produtos/aparelhos-auditivos/

Essas clínicas são bem populares, eu sempre preferi comprar em clínicas representantes diretas das marcas, ao invés de uma intermediária. Eu não conheço nenhuma das marcas que eles vendem.

  1. As marcas mais conhecidas são:

http://www.argosy.com.br/

http://www.otosonic.com.br/

http://www.phonak.com/br/b2c/pt/home.html

https://br.hearing.siemens.com/

  1. Tem gente que traz os aparelhos de Miami, mas para isso você tem de ter certeza de que é o aparelho indicado para você e que terá aqui no Brasil uma clínica que te atenda para fazer os ajustes e manutenção, não é igual a um computador que liga e funciona, pois seu cérebro terá de passar por um processo de aprendizado para decodificar e recodificar os sons.
  1. $$$$$ – custa caro! Comprei meus atuais aparelhos, Audeo Phonak, no ano passado e custou R$5.000,00 cada um. Mas, divida isso por 5 anos de uso e multiplique pelo nível de qualidade de vida e interação que você terá, eu sempre chego à conclusão de que vale a pena!

 

Espero que eu tenha ajudado você. Pense a respeito, será uma ótima decisão eu tenho certeza.

Depois me conte o que você decidiu.

Abraço,

Marta

 

Dicas Aparelhos de surdez – Você precisa?

Os números de 2014

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um comboio do metrô de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 4.600 vezes em 2014. Se fosse um comboio, eram precisas 4 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Galeria

Meu Pai

Esta galeria contém 48 imagens.

Há quanto tempo não volto por aqui para escrever sobre minha vida? Tanta coisa aconteceu neste último semestre! Viagens, trabalhos internacionais, muitas conquistas, mas infelizmente o que me traz aqui hoje é uma triste notícia – o falecimento de meu … Continuar lendo

A REFORMA CONTINUA – A SAGA

Nooooosssa, quanto tempo não escrevo!  O dia-a-dia é corrido demais ….

Nossa reforma voltou e está de vento em popa… Já construímos a ampliação para o closet, instalamos a banheira, não sem antes sofrer com o descaso no atendimento e instalação, que acabou sendo orientada por Otávio e realizada pelo nosso grande pedreiro Ceará…

O cara da cobertura é mais escorregadio que sabão, depois de meses Otávio conseguiu fechar o orçamento e o serviço com ele, e agora estamos na esperança que ele cumpra o prometido, porque afinal 50% do pagamento já foi…

Antes de montar a cobertura era preciso pintar e refazer a textura da casa em alguns lugares, isso foi outra dor de cabeça porque as partes de união entre a textura antiga e a nova tinha tudo para ficar um horror. Contratamos um especialista indicado pela marca da textura, o cara chegou contando vantagem, com uma equipe de nove “profissionais”, um para limpeza, outro para textura, outro para a pintura, ajudantes, etc , e o tempo fechando de chuva. E como é que vai ser se chover? Não se preocupe: se chover a gente para e espera para ninguém perder nem tempo nem material… Então tá!… Vamos dizer que o serviço ficou meia boca, porque algumas emendas ficaram boas, outras ficaram horríveis, tem lugar que a tinta ficou forte, outros em que foi lavada pela chuva e depois labuzada por cima… Enfim, quando acabar a reforma temos de contratar alguém para revisar tudo.

A área gourmet está ficando bonita, já temos churrasqueira, forno de pizza, pia e balcão, falta a cobertura para podermos instalar o piso. A área de serviço idem, os novos banheiros do fundo estão tomando forma, falta resolver como será o meu quarto/ateliê.

Já mandei fazer o closet e não vejo a hora de ver tudo instalado para poder arrumar nossas roupas e sapatos que estão espalhados pela casa dentro de malas e caixas, não dá nem para andar lá em cima… kkk…

Por último, fazer um novo reservatório de água, que poderia muito bem virar uma piscininha para os dias de calor… trocar o piso da cozinha, trocar os armários, pintar tudo por dentro, reformar um sofá, fazer o móvel da TV para a sala, cortinas, lustres e luminárias, arrumar o jardim, trocar o portão da garagem… Temos trabalho para mais um ano… e depois curtir a casa, porque Otávio nunca mais vai querer fazer reforma nenhuma na vida…kkk…

beijos

Marta

New York, New York

Passamos a tarde subindo descendo as 7th e 5th Av, tentando entender a cidade e localizando as coisas… Macy´s tudo de bom a um preço que precisa se pensar duas vezes para pagar…kkk… e comida congelada no subsolo

A noite chuva e pizza, o tempo não ajudou…

Hoje saímos cedinho para ir até a The High Line, aquele jardim suspenso que foi construído sobre uma linha de metro desabilitada, no barro Chelsea … muito legal, pena que não tinha flores, por que a primavera atrasou por aqui e estava uma garoa chata, mas enfim, turista é turista e não será uma chuvinha de nada nas costas que nos impedirá de conhecer a cidade. Andamos do hotel, na 34th com a 7thAv até a 14th com a 10thAv, faça as contas e veja que o lado West já deve ter sido vencido hoje de manhã…voltamos de metro… Na ida passamos pelo Madison Square Garden e paramos para uma sessão de fotos caprichadas. (Coloco as fotos a noite de der, eu sei que vocês me compreendem. kkk)

Agora aguardamos a chegada de Otilia e Sergio para completar o grupo e irmos ao Empire State Building Observation Deck

 Se o sol sair ou a chuva parar vai ser uma passeio legal, caso contrário, sempre nos restam a Macy´s, JCPenny, Bloomingdales…..and others
 
Amanhã ….Woodbury Outtlets
Bye

 

Onde está você agora?

Das perguntas clássicas da filosofia – “quem eu sou”, “de onde vim” e  “para onde eu vou”,  sempre achei que estava faltando uma – “onde estou?”

Não sei vocês, mas eu sempre me perguntei se estou no lugar certo, e principalmente, se estou no lugar certo e na hora certa…

Enfim coisas de escorpião com capricórnio em busca de autoconhecimento…

Tudo isso porque, tenho a sensação de que a maioria das vezes eu tinha de estar em outro lugar… o problema é onde???

Essa é uma das razões pelas quais eu gosto de viajar, conhecer “novos mundos e novas civilizações” , aprender e voltar para ver se redefino meu lugar.

TETRRF-00024113-001

Dito isso, aviso que estou viajando para curtir a 2ª metade de minhas férias… Dessa vez vamos à América, mas precisamente New York e Miami (oh my good!)

Entramos de gaiato na programação de Otília e vamos com a família toda fazer a primeira viagem internacional completa para gastar nosso inglês com os gringos.

 

Até a data da viagem vou ter de dar um jeito de estruturar a programação para os posts lá no blog de viagem http://www.gainosemferias.wordpress.com

Acompanhem, comentem e divirtam-se com  a gente…

Beijos mil,

Marta, Otávio, Pedro e André

 

Já é carnaval cidade…

Ui que o carnaval já está acabando… 2014 mal começou e já estamos em março!

Ainda bem que estou conseguindo fazer o tempo render, dessa vez acho que comecei com o pé direito, com dois pés direitos…kkk…

Viagem de férias programada – finalmente vamos conseguir fazer uma viagem de férias com a família completa…

Muitos projetos e metas para o segundo semestre…

Enfim a vida continua e eu sinto que estou dentro dela.

Que bom, já estava cansada de ver o tempo escorrer pelos dedos.

Pena que ainda não consegui estar em dois lugares ao mesmo tempo e nem aumentar o número de horas de meu dia, sobram idéias e faltam braços para fazer tudo…

Ok, relax, enquanto houver desafios haverá amanhã…

Beijos ensolarados,

é carnaval cidade / Acorda pra ver

A chuva passou cidade / E o sol brilha aê

(Gerônimo)